13 de outubro – Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional

A Fisioterapia e a Terapia Ocupacional são Profissões importantes da área da Saúde. Cada uma com sua missão e o objetivo de promover a Saúde e o bem-estar. Para falar sobre as Profissões, a importância da orientação adequada e a atuação multiprofissional com a Educação Física, o CREF6/MG entrevistou o Presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região – CREFITO-4, Dr. Anderson Coelho.

1) A Fisioterapia e a Terapia Ocupacional atuam em áreas complementares. Apesar disso, quais as diferenças e particularidades de cada uma?

São atos privativos do Fisioterapeuta prescrever, ministrar e supervisionar terapia física que objetive preservar, manter, desenvolver ou restaurar a integridade de órgão, sistema ou função do corpo humano. Já o Terapeuta Ocupacional tem como atos privativos prescrever, ministrar e supervisionar terapia ocupacional, objetivando preservar, manter, desenvolver ou restaurar a capacidade funcional do cliente a fim de habilitá-lo ao melhor desempenho físico e mental possível.

2) Qual a missão do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional na promoção da Saúde e qualidade de vida da Sociedade?

A missão dos dois profissionais está cada vez mais ligada ao modelo biopsicossocial proposto pela Organização Mundial da Saúde, cuja análise considera fatores biológicos, psicológicos e sociais.

3) Em que áreas e locais o Fisioterapeuta e o Terapeuta Ocupacional podem atuar?

O Fisioterapeuta pode optar pelas seguintes especialidades: fisioterapia em acupuntura, fisioterapia aquática, fisioterapia cardiovascular, fisioterapia dermatofuncional, fisioterapia esportiva, fisioterapia em gerontologia, fisioterapia do trabalho, fisioterapia neurofuncional, fisioterapia em oncologia, fisioterapia respiratória, fisioterapia traumato-ortopédica, fisioterapia em osteopatia, fisioterapia em quiropraxia, fisioterapia em saúde da mulher e fisioterapia em terapia intensiva.

As especialidades a serem escolhidas pelo Terapeuta Ocupacional, por sua vez, são: terapia ocupacional em acupuntura, terapia ocupacional em contextos hospitalares, terapia ocupacional em contextos sociais, terapia ocupacional em gerontologia, terapia ocupacional em saúde da família e terapia ocupacional em saúde mental.

Entre os principais locais para exercício de ambas as profissões estão consultórios, clínicas, hospitais, escolas, centros de reabilitação, unidades básicas de saúde, núcleos de apoio à saúde da família e unidades de terapia intensiva.

4) Quais os riscos de se realizar tratamentos da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional sem a orientação adequada?

Os riscos a que está exposto o cliente que não recebe adequada assistência fisioterapêutica ou terapêutica ocupacional são, sobretudo: o não atingimento do resultado esperado em razão do descumprimento de parâmetros assistenciais ou da imposição de limites de atendimentos, por exemplo; ou, ainda, o agravamento do estado de Saúde em decorrência do exercício ilegal de uma das profissões, quer seja por leigo, quer seja por profissional de outra área, isto é, com finalidade distinta daquela necessária à intervenção.

5) Em quais situações o trabalho do Profissional de Educação Física pode ser realizado em conjunto com o Fisioterapeuta?

Em diversos programas e ações voltados à prevenção e promoção da saúde, principalmente em núcleos de apoio à Saúde da Família, Clubes Esportivos, Academias e programas de Saúde na Escola.

 

Dr. Anderson Coelho é graduado em Fisioterapia pela UninCor, com Mestrado em Educação pela mesma Instituição e também especializado em Reabilitação do Idoso. É docente licenciado do curso de Fisioterapia da Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS), em Pouso Alegre, onde também foi coordenador de curso. Atualmente é o presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região (CREFITO-4) e docente do curso de fisioterapia da Faculdade Pitágoras de BH.