Belo Horizonte é a segunda capital mais amigável para a prática de Atividades Físicas, diz ranking

A Revista “Saúde”, da Editora Abril, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR elaborou um ranking em que aponta Belo Horizonte como a 2ª capital do Brasil que mais favorece  a prática de Atividades Físicas. O estudo tem como objetivo a identificação das áreas que precisam de atenção dos gestores públicos, para que as cidades ofereçam às pessoas a oportunidade de adotar a Atividade Física no dia a dia.

O modelo conceitual para a elaboração do ranking partiu de cinco domínios: acesso a espaços de lazer, acesso ao transporte público, desenho urbano, estrutura viária para Atividade Física, trânsito e criminalidade.

A pesquisa também considerou os seguintes princípios:

  • A atividade física deve ser um direito e uma opção possível para todos os moradores da cidade.
  • Todas as pessoas devem ter acesso e condições para realizar atividade física em seu dia a dia se assim o desejarem.
  • As cidades devem oportunizar condições para reduzir a desigualdade nos níveis de atividade física no tempo de lazer (tempo livre) e como forma de transporte, particularmente nos grupos de maior risco para inatividade física (mulheres, idosos, crianças e pessoas com menor renda e escolaridade).
  • As cidades devem propiciar acesso às locais para a prática de atividade física e a transporte público com qualidade e segurança aos usuários de forma a assegurar o acesso à atividade física no lazer e o transporte ativo.
  • As cidades devem apresentar políticas, planos e infraestrutura para garantir oportunidades para o transporte ativo de pedestres e ciclistas.
  • O desenho das cidades deve favorecer o acesso e as oportunidades para a prática de atividades físicas no lazer e no transporte.

A partir dos cinco domínios e dos princípios, os indicadores considerados foram: arborização de vias públicas, instalações esportivas, quantidade de ônibus e micro-ônibus, densidade populacional, densidade residencial, densidade comercial, iluminação de vias públicas, pavimentação de vias públicas, calçadas em vias públicas, homicídios por armas de fogo, homicídios de mulheres, óbitos em acidentes de trânsito, atividade física de lazer e atividade física de deslocamento.

Com a união de todos os dados e um índice obtido por meio de um método chamado de Z-escore, foi possível elaborar a classificação geral das capitais mais amigas da Atividade Física.

Confira as 10 primeiras cidades do ranking:

Posição Município (UF) Escore Z
1o São Paulo (SP) 1,15
2o Belo Horizonte (MG) 0,88
3o Vitoria (ES) 0,64
4o Curitiba (PR) 0,57
5o Rio De Janeiro (RJ) 0,55
6o Porto Alegre (RS) 0,39
7o Palmas (TO) 0,37
8o Goiânia (GO) 0,35
9o Florianópolis (SC) 0,29
10o Brasília (DF) 0,09

 

Texto: PBH