Dia Internacional da Mulher – Profissional de Educação Física Mineira é dirigente esportiva no Canadá

Raquel conduziu a Tocha Olímpica durante o Pan-Americano de Toronto em 2015.

Lugar de mulher é… onde ela quiser! A Profissional de Educação Física Raquel Hermeto Pedercini Marinho [CREF 001048-G/MG] quis e foi bem longe. Natural de Belo Horizonte/MG, hoje a Profissional é Presidente da Federação de Handebol do Canadá e Presidente da Comissão de Desenvolvimento da Federação Internacional de Handebol – IHF, sendo a primeira mulher a ser eleita para presidir uma Comissão junto à IHF. Em 2017, também foi nomeada como Delegada da Fédération Internationale d’Education Physique- FIEP.

E como surgiu a oportunidade de ir para o Canadá? “Não surgiu, eu criei!”, respondeu Raquel com a confiança de quem tem um extenso currículo: Licenciada e Bacharel em Educação Física pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG; Especializada em Cinesiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS; Mestre em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco – UCB; PhD em Kinesiologyand Health Sciences  com ênfase em Neurociências aplicadas ao esporte, pela York University, em Toronto/ON – Canadá.

Até ser uma das comandantes do Handebol no Canadá, Raquel percorreu um longo caminho. A vida esportiva começou aos quatro anos na Natação, passou pelo Voleibol, um rápido período pelo Squash e, finalmente, chegando ao Handebol. “Fui convocada para a Seleção Mineira. Daí, foram muitos aprendizados e conquistas. Até que uma lesão no ombro me afastou das quadras”, lembra Raquel. Já como Profissional de Educação Física, lecionou a modalidade em diferentes instituições de ensino e, em algumas, foi também treinadora das equipes universitárias.

O medo da violência no Brasil fez com que a Profissional buscasse novos rumos. Após passar por um episódio violento dentro de uma instituição de ensino, um aluno armado ameaçando Professores, Raquel, que já procurava por Curso de Doutorado, inscreveu-se para um processo seletivo no Canadá.

Recém-chegada no País, em 2010, passou a treinar equipes masculinas adulta e júnior de Handebol durante o Campeonato Nacional. No ano seguinte, participou da Reunião Anual Geral com a cúpula do Handebol do país e foi indicada pelo Presidente da Federação de British Columbia para ser Vice-Presidente – responsável por treinadores. “Eu fiquei surpresa, assim como todos na sala de reunião. Apesar da resistência de alguns, acabei sendo eleita como Vice-Presidente, no susto!”, recorda. Em 2012, passou a treinar as equipes da Província de Ontário. Dois anos depois, foi eleita Presidente da Federação de Handebol do Canadá. “Me disseram que muita coisa precisava mudar e achavam que eu conseguiria lutar pela melhoria do esporte no País, baseando-se no que haviam visto em minha atuação como Vice-Presidente. Aceitei a nomeação e fui eleita por unanimidade”. Com a reeleição em 2016, Raquel estende seu mandato até 2020.

No Brasil, das 35 Confederações Esportivas vinculadas ao Comitê Olímpico Brasileiro – COB apenas duas são comandadas por mulheres: a Associação Brasileira de Escalada Esportiva, por Janine Fernandes e a Confederação Brasileira de Ginástica, por Maria Luciene Resende.

No Canadá, a presença de mulheres na direção de entidades esportivas é algo comum. A Presidência do Comitê Olímpico e o Ministério do Esporte Canadense, por exemplo, são ocupados por mulheres.

Raquel representa a força feminina, a recompensa pela busca da formação, do engajamento e da coragem. Saiu de Minas Gerais para quebrar paradigmas: Mulher, estrangeira, dirigente esportiva e ser um forte exemplo para outras Profissionais de Educação Física. “Enfrentei muitas dificuldades para chegar onde estou hoje. No entanto, sempre tive muita confiança na Profissional que me formei e continuo a me formar”, destaca.