Jogos Paraolímpicos Rio 2016 conta com a maior Delegação Brasileira de todos os tempos

Mais de quatro mil Atletas de cerca de 170 países participam, entre os dias 7 e 18 de Setembro, dos Jogos Paraolímpicos do Rio 2016. O Brasil conta com uma delegação recorde, formada por 289 Atletas.

“O Brasil ocupa hoje a sétima colocação no Ranking Mundial Paraolímpico e buscamos, neste ano, subir pelo menos duas posições, considerando a conquista dos Atletas e também a organização do Comitê Paraolímpico Brasileiro, a administração e o planejamento realizado por dois ciclos. Não se atinge o sucesso somente com o talento natural dos Atletas, há o auxílio de toda uma logística por trás para chegarmos onde estamos hoje”, explica o Coordenador da Academia Paralímpica Brasileira – APB, Alberto Martins.

Pela primeira vez na história, os brasileiros competem nas 23 modalidades disputadas: Atletismo, Basquete em Cadeira de Rodas, Bocha, Canoagem, Ciclismo de Estrada, Ciclismo de Pista, Esgrima de Cadeira de Rodas, Futebol de 5, Futebol de 7, Goalball, Halterofilismo, Hipismo, Judô, Natação, Remo, Rúgbi em Cadeira de Rodas, Tênis de Mesa, Tênis em Cadeira de Rodas, Tiro com Arco, Tiro Esportivo, Triatlo, Vela e Vôlei sentado.

Dos 289 Atletas, dezesseis são Mineiros. Assim como no início dos Jogos Olímpicos, o Conselho Regional de Educação Física da 6ª Região Minas – CREF6/MG deseja sorte aos Paratletas e anseia que a disseminação dos valores Olímpicos e Paraolímpicos: Amizade, Respeito, Excelência, Coragem, Igualdade, Inspiração e Determinação, seja o maior legado dos Jogos.

Para o Coordenador da Academia Paralímpica Brasileira, Alberto Martins, os Jogos darão ainda mais visibilidade aos valores do Paradesporto. “Acredito que o maior legado dos Jogos Paraolímpicos seja mostrar para a sociedade a capacidade e a potencialidade das pessoas com deficiência. Mostrar a qualidade de vida dessas pessoas por meio do esporte. Hoje, não tenho dúvida em dizer que o esporte é a maior ferramenta que existe para o processo de inclusão e de integração, pois ele mostra para a sociedade o potencial dessas pessoas. O preconceito vem da falta de informação sobre essa potencialidade”.

Delegação Paraolímpica Brasileira. Foto: Fernando Maia/CPB/MPIX