Possibilidade de atuação no Sistema Judiciário é mais uma opção para os Profissionais de Educação Física

Foto: Freepik

O campo de trabalho do Profissional de Educação Física vai além do ambiente escolar, de academia, clube, etc. Os conhecimentos adquiridos na formação também podem ser aplicados na função de Perito Judicial. Em Minas Gerais, o Tribunal de Justiça tem um banco de profissionais cadastrados para atuarem nessa função. Trata-se do Sistema Eletrônico de Assistência Judiciária Gratuita do TJMG – AJG/TJMG, criado em 2015, no qual podem se registrar profissionais de diversas áreas, como a Educação Física.

De acordo com a coordenação do Banco de Peritos do TJMG, não há um prazo limite para o cadastramento, pois ele é permanente. Para se inscrever, o Profissional deve encaminhar os documentos pelo sistema do Tribunal e esperar o resultado. “Após validado, o profissional estará disponível no Banco de Peritos para nomeação, estando assim apto para a prestação de determinados serviços no âmbito deste Tribunal”, explica a coordenadora do Banco de Peritos do TJMG Juliana Roches. Caso seja nomeado, o Profissional deverá analisar os autos processuais e definir se aceita ou recusa realizar a perícia.

As análises técnicas feitas pelo Profissional de Educação Física serão definidas de acordo com a avaliação do Juiz de Direito em cada caso. Assim como a remuneração das perícias realizadas. “Informações sobre a realização da perícia, tais como intimação, data para realização, entrega do laudo etc, deverão ser prestadas pela secretaria do juízo”, destaca Roches. Não há limites de região para a atuação do perito. Entretanto, o Tribunal aconselha que sejam escolhidos locais que não prejudiquem a realização da perícia em razão de despesas extras.

Todas as informações sobre o cadastro, documentos necessários e processo de seleção estão no portal do TJMG: www.tjmg.jus.br/portal-tjmg/processos/assistencia-judiciaria-gratuita-banco-de-peritos